Dicas para não fazer “Greenwashing”

Algumas empresas estão investindo em práticas sustentáveis para melhorar sua imagem, mas acabam se tornando “verdes” pela pior maneira: entram na lista das que praticam greenwashing. Greenwashing pode ser traduzido literalmente como ‘branqueamento” ecológico. Essa prática utilizada para mostrar uma imagem de ecologicamente correta, mas sem trazer benefícios efetivos para o meio ambiente e para sociedade. É importante frisar que existem empresas que fazem isso de forma arquitetada, ou seja, usam o marketing para tentar limpar a sua imagem, mas outras acabam sendo taxadas de greenwashing por erro estratégico na definição e implementação dos seus planos de sustentabilidade. Aqui, compartilhamos algumas dicas para evitar esse embaraço, que pode arruinar os negócios:

  1. Conheça a pegada ecológica da sua empresa. É importante caracterizar e mensurar as fontes de impactos ambientais e sociais, e os riscos econômicos, para quantificar a pegada ecológica da empresa e para avaliar o seu nível de sustentabilidade. Não adianta, por exemplo, iniciar uma campanha para plantar árvores sem quantificar os seus benefícios; ou implantar um programa de reciclagem sem destinação efetiva, porque essas práticas geram pouca redução na pegada ecológica. É preciso mensurar e reduzir a pegada ecológica e que a sustentabilidade seja uma estratégia da empresa.
  2. Defina e implemente um plano de gestão sustentável para reduzir, mitigar e compensar a pegada ecológica. A redução de desperdício e a adoção de práticas ecoeficientes reduz o impacto socioambiental e agrega valor ao produto. Isso se traduz em um maior retorno econômico, com ilustra o diagrama abaixo:

NOVO 2

Fonte: Adaptado do relatório das Nações Unidas – Indicadores de Ecoeficiência.

O que se busca, portanto, é reduzir os impactos socioambientais com maior eficiência na produção e venda e agregar mais valor ao produto.

  1. Utilize indicadores econômicos, sociais e ambientais confiáveis e verificáveis para monitorar os resultados da implementação da gestão sustentável. Exemplos de indicadores de uso de recurso e seu equivalente ambiental incluem:

tabelaFonte: Nações Unidas – Indicadores de Ecoeficiência.

  1. Mensure e reporte os resultados de forma ampla e transparente. Existem vários sistemas de avaliação padronizados para esse propósito, como o Global Report Initiative(GRI). É possível adotar esses padrões para facilitar a comunicação e aceitação das ações.Um grande problema na maioria das estratégias [de marketing e de produção] das empresas para se tornarem mais “verdes” é a falta da visão de que sustentabilidade é um bom negócio, tornando-as mais competitivas. A adoção de práticas sustentáveis gera, como impacto imediato, um aumento no lucro porque os recursos são usados de forma mais eficientes e sem desperdício, com colaboradores muito mais engajados. Lei mais sobre isso aqui.

A Eco-Lógica pode ajudar a sua empresa a estabelecer um plano de gestão sustentável. Entre em contato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>